Notícias

30/09/2015

Como reduzir o desconforto do ar seco a bordo

Algumas pessoas sentem mais, outras menos, o incômodo provocado pelo ar seco nos aviões. A garganta fica seca, os olhos ficam ressecados, a pele também. Mas já há algumas iniciativas voltadas a reduzir esse desconforto, na medida do possível.

A Lufthansa instalou um sistema de umidificação na primeira classe dos modelos A380. Com isso, a companhia aérea afirma que a umidade relativa do ar nesta área do avião chega a ficar entre 20% e 25%, quando normalmente não sai do patamar de 5% a 10% na primeira classe.

O sistema adotado pela empresa em 2011 acabou com uma das poucas vantagens que a classe econômica pode se vangloriar de ter em relação a quem paga mais para voar de avião. Devido ao maior número de pessoas reunidas na classe econômica, a umidade é normalmente um pouco mais elevada em comparação com a primeira classe e a executiva.

A Boeing também divulgou como diferencial do 787 Dreamliner a oferta de ar mais limpo e mais úmido para os passageiros. Mas o fato é que a indústria de aviação ainda tenta encontrar uma forma de melhorar alguns aspectos da viagem sem prejudicar a máquina – quando se fala em umidade, é preciso lembrar que o ar a bordo do avião não é seco à toa, mas sim para evitar a corrosão de materiais.

Saúde

Mesmo com os pequenos avanços encontrados em alguns casos isolados, os níveis de umidade relativa ainda ficam abaixo do que seria o ideal para a saúde. Sendo assim, o melhor que os viajantes têm a fazer é tentar melhorar a situação, especialmente em voos longos.

Confira dicas de especialistas sobre o assunto:

– Tomar água é fundamental, porque ajuda a manter as mucosas hidratadas. Tente não substituir por refrigerante, porque ele contém cafeína, que não ajuda no processo. O mesmo vale para as bebidas alcoólicas, que devem ser evitadas. Se você dormiu boa parte do voo e não se hidratou corretamente, quando chegar ao destino é preciso ter atenção com a hidratação.

– A alimentação antes do voo faz diferença quando o passageiro estiver a bordo. Antes do embarque, é bom evitar alimentos que estimulam a formação de gases. Em altitude, os gases se expandem e provocam incômodo não apenas no intestino, mas também são responsáveis por dor de ouvido e sensação de ouvido ‘tampado’, principalmente na decolagem e aterrissagem.

– Os olhos costumam ficar ressecados e a situação piora para quem usa lentes de contato. Colírios hidratantes podem ajudar a amenizar o desconforto. No caso do nariz que entope, o spray nasal pode auxiliar. Mas atenção: o uso de remédios deve sempre ser feito somente depois de consultar um médico.

Fonte: http://todosabordo.blogosfera.uol.com.br

Entre em contato!

Utilize o formulário abaixo ou ligue: (86) 3215-0090

[contact-form-7 id="55" title="Formulario de Contato"]